Big Chop: o que ainda não te contaram sobre o grande corte

 

Eu sei que por aí o termo Big Chop é temido. Em uma tradução literal, ele significa “grande corte” e representa o fim da jornada de transição capilar. Como a minha transição capilar está sendo bastante tranquila e o big chop não parece tão assustador pra mim, resolvi separar algumas lições que aprendi durante minha jornada.

Eu entendo que cada transição capilar é diferente, e a sua relação com o seu cabelo e com o big chop podem ser diferentes da minha. No entanto, minha experiência pode te ajudar a ter uma boa experiência também. Deixa eu te contar o que ninguém me falou sobre o Big Chop:

Coisas que eu gostaria de saber antes do Big Chop

1. Cabelo natural não significa “menos trabalho”

Há quem diga que lidar com o cabelo com químicas é difícil. Você tem que usar secador, chapinha, e perder muito tempo com isso. Eu concordo, já estive aí. Mas deixa eu te contar uma coisa sobre o cabelo natural: ele não representa menos trabalho. Na verdade, sua relação com o cabelo vai ser diferente porque você vai aprender a amá-lo, e por conta disso, você não vai querer chamar de “trabalho”. No entanto, lidar com o cabelo não vai ser rápido ou fácil: serão lavagens e hidratações demoradas. As finalizações nem sempre serão rápidas também, ou o processo para desembaraçar os fios vai ser complicado. Não falo pra te assustar, mas pra que você tenha ciência de que o “trabalho” é praticamente o mesmo. Mas é mais divertido porque seu cabelo estará saudável, e você estará aprendendo com ele.

2. Pentear o cabelo não vai ser tão prático

Seu braço vai doer, você vai cansar, vai parecer que você saiu de uma série de exercícios pra braços. Mas o resultado sempre vai te fazer que valeu a pena. Além disso, você vai aprender jeitos práticos de penteá-lo. Já até ensinei por aqui como desembaraçar o cabelo.

3. Você vai ficar amiga dos óleos naturais

Sim, os óleos naturais serão seus melhores amigos. Seja para utilizar na raiz ou nas pontas dos fios, você vai aprender a conviver com óleos e querer aprender cada dia mais sobre eles.

4. Ter um cabelo natural não é barato

Especialmente no começo, enquanto você tenta descobrir o que funciona com o seu cabelo natural, você pode acabar gastando algumas fortunas no cabelo. Quer uma dica: esqueça das grandes marcas, experimente as menores e baratas também. Nem sempre o preço significa qualidade.

5. Você pode se frustrar durante a jornada, especialmente se você se compara demais com outros

Como eu disse no começo, cada jornada de transição capilar é diferente. Para algumas pessoas, é difícil, tortuosa, e cansativa. Para outras, ela é simples e divertida. Além disso, algumas pessoas descobrem que tem o cabelo do tipo B, que são cachos mais abertos e fáceis de lidar. Já outras, percebem que tem o tipo 4c, aquele mais marginalizado e que continua sofrendo preconceitos. Enquanto você desejar um tipo ou outro, você vai se frustar durante a sua jornada. Enquanto você desejar o cabelo da celebridade A ou B, e da Blogueira X ou Y, você vai se frustrar, porque o seu cabelo é seu cabelo. Aprenda a amar o seu cabelo e tudo há de ficar bem.

6. Tudo isso vai valer  a pena

A jornada de transição capilar é também uma jornada de re-descoberta, onde você aprende a se amar de qualquer forma. E isso, só por isso, faz todo o trabalho ser recompensador.

E acho que é isso. Esses pensamentos já estavam há algum tempo na minha cabeça e eu estava louca para compartilhar!

Gostou? Deixa um comentário! Aproveita e me segue no instagram: @stephanienpereira

 

Stephanie Pereira

Stephanie Pereira

She is just a girl, and she's on fire.

Deixe um comentário