FAQ

Quem é você e por que você criou esse site?

Meu nome é Stephanie, e sou uma jornalista de vinte e poucos anos. Ali por volta de agosto de 2014 eu resolvi ficar mais séria com relação à saúde do meu cabelo. Sempre fui muito interessada pelo assunto, e sempre montei cronogramas capilares, mas nunca os segui de forma correta. E por não seguir de forma correta, já passei por todas as fases da Rapunzel: das longas tranças às não tão longas assim.

Para diminuir as quedas e aumentar minha retenção capilar, comecei a pesquisar cada vez mais sobre cabelos. Encontrei vários sites americanos com informações interessantes sobre o assunto: li sobre óleos naturais, sobre texlaxing, sobre tranças, sobre transição e cabelos naturais, sobre wigs, weaves… Então, a impressão que eu tive foi a de que nenhum portal brasileiro agregava essa diversidade linda que a mulher negra pode ter em seus cabelos. Não me entenda mal: eu sei que existem sites incríveis sobre crespas, sites bons para as relaxadas, e portais adoráveis para quem gosta de tranças… Mas e para quem gosta de tudo isso? Quem hoje usa extensões, mas amanhã quer ter um cabelo black power? Como faz? E para quem se interessa por cabelos simplesmente por ser apaixonado pela diversidades de estilos que podem ser adotados por uma mulher negra e por esse relacionamento que ela tem com o seu cabelo?

Então, senti a falta de um site que falasse com todas as mulheres negras, independente se elas decidiram raspar, relaxar o cabelo ou mantê-lo natural. Porque ao meu ver, você não é escrava de um ou outro estilo: você pode estar lisa agora, e decidir ficar natural, como você pode estar natural agora e decidir relaxar o cabelo. Das duas formas, você quer seu cabelo saudável, correto?

Foi da vontade de registrar minhas descobertas sobre o meu próprio cabelo, e a ânsia de preencher esse gap com informações úteis para todas as mulheres, criei esse site. Tive um incentivo a mais porque sempre me perguntavam sobre cabelos, e a vontade de espalhar conhecimento sempre esteve ali.

Se você se interessa pelo conteúdo, seja bem vindo. Se você acha que pode colaborar, fique à vontade para me enviar um email em cabeloafroblog@gmail.com o título “colaboração”. Assim te mando mais informações de como fazer parte desse projeto, ok?

De onde você tira as informações? 

A maioria delas vem da minha experiência pessoal. Acredite, já fui crespa, já tive extensões, já usei wigs, já tive tranças… Então, acho que minhas próprias experiências podem contar como conhecimento de causa.

Algumas das informações são obtidas por meio de pesquisas. O que pesquiso, tenho o cuidado de confirmar com a minha cabeleireira ou com a minha irmã, que é farmacêutica, e entende de químicos. Aliás, a família inteira tem conhecimento para compartilhar: foi com a minha mãe que aprendi que óleos naturais nutrem o cabelo, e lembro até hoje de como quando pequena, ela e minha avó me falavam sobre os benefícios da babosa (aloe vera) para os cabelos, e que pentear em seções era mais fácil, e que é importante dormir de lenços (ou travesseiro de seda) para que o cabelo não ficasse marcado. Percebeu? Conhecimento e experiência tem de sobra, e o que eu não souber, não tenho vergonha nenhuma de perguntar. Sou jornalista, poxa vida.

É preciso, porém, deixar claro que acredito que em relação à cabelos, cada pessoa tem que descobrir o que funciona melhor com o seu. Às vezes não é o shampoo mais caro que vai deixar seu cabelo do jeito que você gosta, às vezes é. Então, sugiro que da mesma forma que pesquiso bem antes de apostar em um novo tratamento, antes de seguir tudo que você lê a risca, você deveria fazer pesquisas também.

E essas fotos aí?

Eu sei, eu também gostaria de creditar tudo. Na verdade, eu até tento dar os créditos quando conheço o nome do fotógrafo porque entendo que citar a fonte é essencial. Portanto, se você conhece ou é o dono de uma foto que foi publicada no site, e quer que ela seja creditada ou retirada, por favor envie um email para stephanie.jornalismo@hotmail.com, e a gente resolve.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Comente com o Facebook