Até que ponto vidas negras importam?

0

Um intenso movimento de mobilização de pessoas brancas antirracistas vem crescendo no Brasil, mas até que ponto vidas negras importam?

Até que ponto vidas negras importam?

É triste saber que o movimento precisou partir dos Estados Unidos para que brancos brasileiros começassem se mobilizar, como se a policiais brasileiros não tivessem tirado a vida de diversos negros inocentes.

Posicionamento oportunista

Nunca é tarde para se posicionar, entretanto, esse momento parece que diversos posicionamentos são estratégicos, como por exemplo, é muito mais cômodo criticar a realidade de outro país.

Recentemente, diversas pessoas mostraram comoção e apoio fazendo uso de hashtags em inglês, entretanto, muitos não fazem ideia sobre o que estão falando quando o assunto é violência policial.

20200607_231445-8129797-683x1024-7243012-4342672-5762190-1805694-5024593-7017693-6929506-7410261
Imagem de @felipegrafias no Instagram – São Paulo 07/06/2020

Lutar contra a violência policial é apontar e não calar quando acontecem as operações nas favelas do estado do Rio de Janeiro, ou também entender os absurdos que acontecem nas periferias de São Paulo e como são violentas as ações nas várias Cracolândias espalhadas por todo território nacional.

20200607_231441-8423035-683x1024-6684032-3815712-3201127-1499086-6755088-9732185-7917403-4636081
Imagem de @felipegrafias no Instagram – São Paulo 07/06/2020

É só pela mídia ou realmente importamos?

Vidas negras importam apenas quando há comoção da mídia norte americana ou vidas negras também importam quando policias entram em operações antes de eventos como o Carnaval e arrancam a vida de pessoas em situação de rua para que você não reclame de tantos roubos durante a sua folia.

Espero que esse grito de indignação de brancos antirracistas dure antes de acabar a narração da mídia norte americana, porque os negros brasileiros continuam morrendo dia após dia.

Até a próxima!

Continue lendo nossos textos e não se esqueça de que vidas negras sempre irão importar, e que com muita luta, alcançaremos muito mais igualdade do que já conquistamos ao longo desses anos!

Créditos:

Esse texto foi inspirado no posicionamento da criadora de conteúdo digital Nátaly Neri do Afros e Afins.

fb_img_15921744628981-9597105-7490798
Leave A Reply

Your email address will not be published.