Tranças afro danificam os cabelos?

Tranças afro danificam os cabelos?

Um penteado tradicionalmente africano que poderia indicar desde religião até estado civil, as tranças afro oferecem aos possuidores dos cabelos crespos vários estilos sem abdicar da saúde dos fios, desde que sejam feitos com os devidos cuidados.

De onde vieram as tranças?

Originada na região da Namíbia, na África, sua história vem de aproximadamente 3500 anos nas tribos que usavam seus desenhos e padrões como identificação étnica, que poderiam indicar status social, riqueza, idade, religião de um indivíduo.

O ato de trançar também possuía grande valor social, responsável por transmitir os conhecimentos culturais entre as gerações e estreitar os laços entre os membros da comunidade. 

De onde vieram as tranças?
História das tranças. Fonte/Reprodução: original.

Nomes hoje atribuídos a estilos de tranças afro como Nagô, Jeje, Angolas e Fulas eram termos que separavam os escravos em subdivisões conforme as regiões de sua origem. O reconhecimento entre os indivíduos dessas tribos era feita através dos diferentes desenhos que representavam o mapa das regiões, o que ajudou a encontrar o caminho durante as longas caminhadas.

A tradição e a importância cultural sobreviveram mesmo após séculos de escravidão, uma representação da luta racial, um símbolo de resistência e uma forma de manter contato com as raízes que lhe foram tiradas para os descendentes que ainda lidam com o preconceito por todo o globo.

Com os movimentos da contracultura dos anos 60/70, a população negra decidiu lutar pelo seu lugar, onde muitos integrantes do movimento retomaram elementos de sua cultura antes retirados a força durante a escravidão. 

Alguns desses elementos se estenderam a estética, como os penteados. Porém, foi nos 2000 que realmente ocorreu a absorção para o mainstream, assim como o movimento apoiador da transição capilar, que visa a adoção da textura natural de cabelos cacheados e crespos antes discriminados.

Com o êxodo forçado da população africana, a tradição se espalhou e se popularizou em outras culturas. Na Namíbia, do Egito até a Grécia, nas tranças afro soltas da população caribenha nos anos 70 e no movimento flower power, não se pode negar que as tranças afro fazem parte de uma tradição milenar e seu valor vai muito além do fator estético.

Como utilizar tranças afro sem danificar os cabelos?

Por ser uma textura porosa, os cabelos crespos são mais frágeis e mais suscetíveis a quebra, porém isso não impede que a adoção de tranças afro, sejam elas desda a raiz ou soltas, o que realmente importa é como será feita.

Algumas regrinhas são essenciais para preservar a saúde dos fios e aproveitar o máximo das tranças afro, independente do estilo escolhido, veja algumas delas:

Escolher um/uma trancista de qualidade

Seja o profissional conhecido seu ou não, uma boa dica é pesquisar os trabalhos anteriores, se possível entrar em contato com esses outros clientes e perguntar da experiência, e como o cabelo reagiu após.

Antes de trançar

É recomendado que para bons resultados o cabelo tenha no mínimo 6 cm de comprimento e que seja feita uma avaliação da resistência dos fios. Se o cabelo estiver fragilizado, uma reconstrução com queratina anterior ao trançado garante uma experiência sem quebras. No dia escolhido para efetuar o penteado o cabelo deve estar livre de produtos e bem limpo, assim evita a oleosidade.

Cuidados durante o período trançado

Agora que já foi exposto que as tranças afro não danificam o cabelo e a escolha do profissional já foi feita, é bom saber que o couro cabeludo precisa de cuidados. A lavagem pode ser feita regularmente sem problemas, diluindo o shampoo na água. Porém, deve-se atentar que o cuidado nesse período é feito exclusivamente com shampoo e no máximo, tônicos capilares.

Tudo que é bom, acaba

Existe um limite de tempo para ter as tranças afro, elas vão desgastar e mudar a aparência, além da aparência da raiz que se altera com o crescimento do cabelo(que aumenta pela proteção a fatores externos como poluição e raios solares), por isso o tempo recomendado é de dois a três meses. 

Cuidados pós

Lembre que para retirar as tranças afro é aconselhável o uso de um creme de pentear para evitar quebras ou a ajuda do profissional que confeccionou. 

Cuidados pós
Cuidados ao trançar. Fonte/Reprodução: original.

Após a retirada é normal notar fios soltos, mas nada de desespero, esse cabelo é normal e faz parte dos 150 fios soltos pelo couro cabeludo por dia, para acabar com o efeito opaco que pode surgir depois do tempo com o cabelo preso é só apostar em hidratações e umectações de qualidade.

Quando as tranças afro podem danificar os cabelos?

Após boas dicas sobre cuidados do cabelo antes, durante e após a retirada das tranças afro, é bom se manter atento para o que não deve acontecer, visto que as tranças afro, quando bem feitas, não danificam os fios e os ajudam a crescer saudáveis. 

  • Se atente a técnica do(a) trancista, não se deve puxar demais os cabelos e deixá-los presos em penteados apertados por grandes períodos, as consequências podem levar a uma alopecia por tração. Essa alopecia causa redução dos fios de cabelo de uma área do couro cabeludo onde ocorre o trauma;
  • Além de evitar o bom acabamento do material que construirá a trança, a umidade pode deixar os fios propensos a desenvolver fungos e bactérias, e até mesmo ocasionar mofo, por isso, se deve começar o processo da trança com os fios secos. 

No processo de lavagem das tranças afro é vital que se diminua a frequência de lavagens rotineiras, seque após o fim do processo com secador frio.

O período de descanso entre um estilo e outro deve permitir que o fio respire e seja tratado, assim compensa o período que permaneceu abafado pelas tranças afro, o período recomendado é de um mês.

Como são feitas tranças afro?

Também chamadas de box braids ou tranças afro kanekalon (apelido dado devido ao nome da empresa que vende cabelos sintéticos ao redor do mundo) são feitas de materiais sintéticos, lã ou jumbo.

A lã é a favorita dos homens por garantir um efeito mais parecido aos dreads já que não possuem o mesmo brilho das fibras sintéticas, também deixa o penteado mais leve. O mesmo acontece com o jumbo, que ganhou popularização por possuir uma maior variedade de cores disponíveis e seu peso leve.

Trançando cabelos e o material escolhido se garante um visual moderno e versátil, e por vezes colorido, que permite adaptações e carrega toda uma história cultural milenar. A maioria dos profissionais que produzem os trançados ainda se encontram na periferia, mas a chegada do penteado nos holofotes e nos cabelos das celebridades permitiu a expansão desses negócios pelo mundo à fora.


Comments

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *